maio 8, 2020

A Pesquisa semanal de Impacto é uma revisão regular das tendências entre os profissionais da indústria AV, bem como suas atitudes e percepções baseadas na pandemia global do novo coronavírus e da COVID-19. 

Destaques 

  • Pela terceira semana consecutiva, o sentimento geral está em uma medida de espera, embora a receita ainda esteja sob pressão negativa. 

  • Empresas que começam a ver a luz indicam um aumento na retomada de projetos e de propostas de cotações. 

  • Parece que, até o momento, a maioria das empresas optou por licenças de trabalho, em vez de demissões, indicando possíveis planos para uma retomada antecipada. 

  • Os provedores AV contam histórias de planejamento minucioso para que, à medida que reiniciem o trabalho, seus funcionários estejam seguros. 

O governo dos Estados Unidos e outros ao redor do mundo estão se preparando para relaxar as restrições e abrir suas economias, mesmo que a pandemia de coronavírus continue se espalhando em várias regiões. A macroeconomia permanece sob extrema pressão global. A partir de 7 de maio, nos Estados Unidos, mais 3,2 milhões de pessoas se inscreveram para o apoio ao desemprego, e o duplo impacto do afastamento social e da COVID-19 continua a afetar negativamente a indústria AV profissional. Mas algumas empresas apontam que, uma vez que experimentaram os efeitos severos, fizeram os ajustes necessários e começaram a virar a página. 

"Conseguimos garantir recursos por meio do PPP [Programa de Proteção ao Pagamento], o que nos deu uma pausa", relata um dos provedores pesquisados. "Mas o mais importante, as coisas estão se movendo novamente. As ordens de compra triplicaram de março a abril." 

Na mais recente Pesquisa de Impacto COVID-19, levantada em 5 e 6 de maio, 70% dos provedores AV e 58% dos usuários finais relataram que a pandemia teve um impacto negativo em suas empresas. Esses números diminuíram gradualmente desde que a equipe de Inteligência de Mercado da AVIXA começou a levantar a pesquisa, embora 70% dos fornecedores que mencionam ter tido uma semana difícil em seus negócios seja uma linha plana. No geral, o percentual de provedores AV que perceberam impacto negativo atingiu o pico em 2 de abril com 88%; a relação de usuários finais subiu para 83% apenas começou a pesquisa, mantendo essa alta nos ciclos de 20 e 27 de março. 

Independentemente da percepção, quanto maior a duração do fechamento da economia, maior foi o efeito negativo sobre os negócios. Na pesquisa mais recente, dos provedores AV que sentiram o impacto negativo da COVID-19,  75% disseram ter visto uma queda na receita (o maior número desde que a pesquisa foi iniciada), e 71% mencionaram vendas mais lentas. Nota: Esses números se aplicam apenas aos participantes que disseram que seus negócios tiveram um impacto negativo. Tendo em vista os números de impacto negativo que atingem uma curva mais plana ou descendente, a equipe de Inteligência de Mercado da AVIXA começará a tomar médias ponderadas de todos os participantes, dos quais cerca de 44% do universo de fornecedores pesquisados mencionaram que suas empresas viram receitas reduzidas e 41% relataram vendas lentas. Esta análise nos permitirá entender melhor qualquer recuperação nas próximas semanas. 

Diante da questão ‘Quanto sua receita foi reduzida?’, uma média ponderada das respostas dos provedores AV chegou a 28%; queda que cresceu ligeiramente nas últimas semanas. 

"Tivemos duas ou três propostas para possíveis cotações de aluguel de equipamentos para eventos em outubro de 2020", disse um provedor de AV. "Mas dependemos de uma recuperação global... e também para saber se alguns dos principais fornecedores permaneceram no negócio ou encerraram suas operações. Por segurança, devemos considerar fornecedores alternativos." 

Sinais positivos 

Nesta semana, 30% dos provedores participantes e 43% dos usuários finais relataram não se ressentir de impactos ou sofrer impacto positivo da pandemia. Como na semana passada, perguntamos a esse grupo de participantes quais sinais positivos haviam notado: 43% do grupo de fornecedores e 42% dos usuários finais relataram que os projetos estão sendo retomados, crescimento que contrasta com 35% e 28% respectivamente na semana passada. Além disso, 43% dos provedores que não relataram impacto ou impacto positivo relataram ter visto um aumento nos pedidos de informações e cotações, acima de 30% na semana passada. Como já destacado, esse percentual corresponde exclusivamente aos participantes que responderam "sem impacto/impacto positivo" na pesquisa.  Uma média ponderada de todos os participantes indica que apenas 13% estão vendo a retomada do projeto e outros 13% mostram crescimento nas aplicações. Em outras palavras, em geral, qualquer recuperação é limitada no momento. A equipe de Inteligência de Mercado da AVIXA continuará examinando tendências nessas médias. 

"Estamos recebendo novas atribuições do projeto", disse um fornecedor. "Tivemos apenas três projetos parados por causa da COVID-19, e dois deles estão relacionados ao mercado de cruzeiros." 

Segundo outro dos fornecedores participantes, "chegamos a uma nova versão do trabalho. Os projetos ainda estão sendo concluídos, embora as vendas sejam baixas. Felizmente tivemos entradas suficientes no projeto quando isso começou, então ficaremos bem pelo menos até o final do ano. Esta é uma das coisas mais inteligentes sobre misturar grandes projetos com outros menores: a variedade está nos salvando." 

Licenças de trabalho não remuneradas ou demissões? 

Para combater a redução de receita, 33% dos provedores participantes mencionaram que suas empresas implementaram demissões ou licenças de trabalho. Diante da questão de estimar o escopo de redundâncias ou licenciamentos, os provedores AV indicaram uma média ponderada de cerca de 6% de sua força de trabalho, o que é relativamente modesto, considerando os picos de desemprego relatados na economia global. 

De acordo com um vendedor da pesquisa, "tínhamos 95% de licenças e um pequeno número de pessoas voltou ao trabalho. Isso é uma melhoria em relação à semana passada." 

Tudo isso nos deixou pensando: o que é mais proeminente, demissões ou licenças? As empresas estão cortando funcionários ou simplesmente suspendendo suas funções até que possam voltar ao trabalho? 

A equipe de Inteligência de Mercado da AVIXA perguntou aos participantes que mencionaram que suas empresas sofreram demissões/licenças para estimar qual porcentagem foram exclusivamente demissões. Após a análise das respostas, foi possível calcular uma média ponderada de cerca de 14% de demissões, indicando que o restante eram apenas licenças temporárias. É claro que não há garantia de que algumas licenças se tornarão mais tarde demissões, particularmente à medida que os incentivos governamentais começam a ficar baixos, mas a ênfase no licenciamento pode ser um sinal esperançoso de que as empresas esperam retomar as ações rapidamente quando o trabalho for reiniciado. 

 De volta ao trabalho 

Agora, a pergunta de um milhão de dólares é: "Como será voltar ao trabalho?" Curiosamente, as empresas parecem estar cientes de que isso exigirá um planejamento minucioso para proteger os profissionais AV. 

"Finalmente conseguimos nosso último técnico de volta ao trabalho", disse um dos fornecedores da pesquisa. "Ele voluntariamente decidiu ficar em quarentena e não se sentia confortável trabalhando em grandes construções. Agora temos a possibilidade de trabalhar em projetos menores e privados, onde somos as únicas pessoas na área, às vezes mesmo as únicas em todo o prédio, então ele está vindo para trabalhar nesses projetos." 

Outro provedor descreveu como estão preparando um plano para voltar ao trabalho: "À medida que nosso estado se prepara para passar para a fase 1 (do plano de recuperação), estamos implementando um plano de reabertura com equipe reduzida, com aprovação das Secretarias de Saúde, locais e estaduais. Temos um plano escrito para reduzir riscos e fornecer recursos adicionais e materiais de proteção conforme necessário. Grande parte da nossa equipe opera com trabalho remoto até que nosso estado se mova para a próxima fase." 

De acordo com outro participante cuja empresa trabalha em eventos ao vivo, "estamos atualmente – ainda que lentos – passando da fase 1 para a fase 2... Essa transição pode levar muito tempo, até vários meses. Também enfatizamos que a Fase 3, que é muito distante, não será um retorno ao modo como as coisas eram. A curto prazo, veremos eventos híbridos como a norma. O declínio das viagens internacionais impulsionará o crescimento dos eventos híbridos." 

Ansioso 

Quando a maior parte do trabalho do projeto AV será recuperada? Talvez porque as economias estão se abrindo gradualmente, a maioria dos fornecedores (30%) estima que será em junho, embora isso deixe um grupo considerável (53%) tentando visualizar um ponto entre julho e outubro. 

Os usuários finais são um pouco menos otimistas, com 16% indicando junho, 49% estimando entre julho e setembro, e agora 14% apontando para 2021. 

Um dos fornecedores da Asia Pacific mencionou: "Embora alguns de nossos trabalhos de instalação tenham sido incentivados, temos recebido mais pedidos para o trabalho de projeto e temos cinco novos cargos em funções de coordenação de projetos técnicos que começaram a trabalhar conosco nos últimos 10 dias. Ainda temos mais duas vagas para preencher e que estamos recrutando ativamente. Começamos a ver sinais otimistas para a indústria na região Ásia-Pacífico, com um aumento nas exigências de trabalho para começar no segundo semestre do ano civil." 

Os resultados da próxima pesquisa serão divulgados entre os dias 16 e 18 de maio. 

Para aqueles que desejam participar da Pesquisa Semanal de Impacto COVID-19 da AVIXA ou outros estudos realizados pelo Painel de Inteligência AV, pedimos que você se inscreva gratuitamente com a Comunidade AVIXA Insight através do link https://avip.avixa.org/ 

Lembramos que a AVIXA tem um espaço com informações atualizadas sobre o tema da COVID-19 e seu impacto na indústria de AV disponível neste link. 

Além disso, convidamos você a entrar gratuitamente em nosso catálogo de educação online disponível gratuitamente até 12 de junho de 2020. 

Related Topics

Business of AV

Related Content